O Brasil pode um dia ter o espanhol como língua oficial, dado o aumento de imigrantes e seus vizinhos?

Leia minha resposta original no Quora.

Isso nunca irá ocorrer, e é por dois motivos. Posso te dar o primeiro convicto, por gosto da língua portuguesa, mas até poderiam ser invertidos também! Daria no mesmo:

  1. O espanhol e o português são extremamente semelhantes, o que faz com que o fenômeno dos EUA não ocorra aqui. Lá, os imigrantes menos instruídos continuam usando o espanhol e adaptam o inglês em fases, enquanto seus filhos tornam-se plentamente americanos. Aqui, nossos irmãos latinos e deliciosamente sulamericanos aprendem o português em instantes, sem perder seus dialetos;
  2. Nossa forma de receber os imigrantes é diferente. Vemos os nossos vizinhos latinos como irmãos, não colegas de continente, e aceitamos seus sotaques, culturas e cores-de-pele. Não existe a possibilidade de receber um panamenho ou alguém de Trinidad sem simplesmente dá-los “bem-vindo”, ao passo que, nos EUA, seriam simplesmente “wetbacks” e “bienvenidos” (com sarcasmo).

No Brasil, aqueles que falam espanhol aprendem o português em questão de 1~7 meses, arrumam empregos, CPF, identidade nacional e, se forem capazes do que dizem que são, entram no mercado como iguais aos brasileiros — desde que aprendam o idioma, ou possam se fazer entender.

Somos um dos melhores países para imigrantes, pois até o japonês, chinês, indonésio e coreano conseguem adquirir cultura, aceitação e um espaço para se estabelecerem.

Nossas casas são de tijolos sem acabamento, mas nossa cultura é uma das mais receptivas do mundo. Somos exemplo. Por isso, todos aprendem português.

O português poderia ser a língua comum do hemisfério Sul, já que é a língua mais falada nesse hemisfério?

Leia minha resposta original no Quora.

Não se torna a língua comum por questão de sua influência… O português é muito insular. Temos representantes importantes, como o Brasil, Angola e Moçambique, que realmente tornam o português no idioma mais falado do hemisfério, no entanto é muito fechado em si, não influencia países vizinhos e não é usado com maior frequência nas relações entre os países do hemisfério.

Uma língua acaba sendo considerada comum de uma região pré-estabelecida quando é a língua mais utilizada por todos os países nas comunicações entre si, nos negócios e acordos políticos. No caso do francês, por exemplo, já foi uma língua falada por menos gente do que algumas outras línguas europeias, ainda assim continuando a ser a língua mais importante para interações internacionais. Era a língua que todos aprendiam após a nativa, ao invés do inglês.

Se os países lusófonos crescerem economicamente e aumentarem o nível de interações com os países vizinhos, com o tempo o português terá mais destaque e mais pessoas buscarão aprendê-lo, o que fará com que ele fique mais relevante e utilizado em diversas interações entre os países. Por enquanto, não vejo isso acontecendo.

Como será a destruição da Terra quando o Sol se expandir?

Leia minha resposta original no Quora.

A cada 1 bilhão de anos que se passa, o Sol fica 10% mais brilhante, em média. Mesmo essa alteração já pode significar o fim da vida na Terra. É o suficiente para começar a evaporar a água dos oceanos e rios, o que fará com que o vapor fique preso na atmosfera e aumente o efeito estufa.

Com isso, tudo ficará mais quente, o que evaporará mais água e piorará o efeito. É extremamente provável que a Terra acabe ficando como Vênus com o tempo.

Com 4 bilhões de anos, o Sol estará acima de 40% mais brilhante, e toda a água já terá sido evaporada e partida em hidrogênio e oxigênio, que escaparão da atmosfera. A Terra vai, aos poucos, se tornar uma rocha estéril e insuportavelmente quente.

Até 5 bilhões de anos no futuro, o Sol se tornará uma gigante vermelha, quando terminar de consumir o hidrogênio que existe na estrela (ele consome 600 milhões de toneladas de hidrogênio por segundo!).

Ele começará a perder suas camadas externas, e perderá um pouco da sua força gravitacional. Marte e os planetas mais distantes devem escapar, mas a Terra provavelmente será engolida. E, mesmo que escape também, o calor imenso será completamente insuportável para a vida, a Terra será uma massa frita.

Quando acabar o combustível, o Sol começará a pulsar, perdendo as camadas exteriores até que reste somente um núcleo denso e quente. Ao fim do processo, ele se tornará uma anã branca, que esfriará até não restar nada.

Por que álcool 70% é melhor como desinfetante do que álcool 90%?

Leia minha resposta original no Quora.

O álcool 70% tem 30% de água, e essa água é necessária para o álcool interagir com as células que está matando.

É como fazer uma omelete. Sabe quando a panela está bem quente e você coloca os ovos, queimando o lado de fora bem rápido? E aí você pode virar a omelete, mas acaba queimando o outro lado da mesma forma e o meio não esquenta tanto, certo? 90% álcool é tipo isso. Ele não penetra tão bem nas células ou micróbrios porque queima tudo que toca do lado externo. O álcool 70% é como cozinhar em fogo médio com uma panela relativamente quente. Ele entra em contato com o lado externo, também, mas a água ajuda a penetrar na massa e queimar a parte interna.

Concentrações mais altas de soluções alcoólicas (especialmente isopropil) podem funcionar melhor como solventes para uso em coisas como eletrônicos necessitando de limpeza porque a água normalmente não reage bem com eletrônicos.

O que foi dito acima refere-se apenas ao etanol e o álcool isopropil (que não é próprio para consumo). Há outros tipos de álcool, mas a resposta se refere aos de uso mais comum.

Por que não aproveitar a crise política brasileira para criar um país do Sul — SC, PR e RS?

Esta é uma postagem adaptada de um comentário feito em uma resposta para uma pergunta parecida no Quora. Você pode acessar a pergunta original e o comentário clicando neste link.

Apesar do argumento de que os estados do Sul do país possuem IDH mais elevado e menos crimes, isso não significa que a região seja mais desenvolvida socialmente ou economicamente. Ela é completamente dependente (e devedora) do restante do país, em especial a região Sudeste.

O IDH da Venezuela era maior que o do Brasil por várias décadas. O da Argentina também é. IDH não é um índice que sobe para nunca mais descer. O IDH de Santa Catarina é muito alto, e vários dos medidores do estado são ótimos, mas isso não significa que ele seja autossuficiente.

Sem a infraestrutura e diversidade econômica do Brasil como um país único, Santa Catarina não teria condições de manter a atual qualidade de vida. A economia seria muito mais volátil, de acordo com os poucos commodities que o estado concentra, e simplesmente não daria para manter o “país”.

Na Europa, os países se formaram por questões culturais próximas e idiomas, em muitos casos. Isso funcionou por lá. No caso da África, por exemplo, seria absolutamente impossível. Pelo fato de falarmos português, termos uma história comum de descoberta e desenvolvimento, sermos completamente integrados economicamente e socialmente (televisão, jornais, empresas…), não vejo força no argumento de que somos diferentes demais para sermos todos brasileiros.

Para que Santa Catarina ou o Sul, como um todo, pudessem se tornar um país estável e promissor sem o resto de nós, seria necessário que os cidadãos e governo iniciassem megaconstruções em diferentes frentes para ampliar significativamente a diversidade econômica da região e criar uma insfraestrutura independente capaz de dialogar com todos os vizinhos de forma eficiente sem os muitos acessos ao novo Brasil (Santos, Salvador, São Luís…), sem zonas industriais absolutamente vitais (São Paulo, Belo Horizonte, Manaus), sem o fornecimento do alimento provido pela zona rural do Centro-Oeste/Sudeste (São Paulo, Mato Grosso, M. G. do Sul), enfim…

Creio que sejamos similares o suficiente para compartilhar uma nação e que, juntos, podemos mais. Também acho que é uma energia muito mais bem gasta contribuir para que o Brasil inteiro dê certo do que para tentar conseguir algum dia uma secessão. Eu não tenho como garantir que isso jamais acontecerá na História, mas tenho 99,9999999% de certeza de que não acontecerá em nossas vidas.

Os seres humanos são os únicos animais que temperam a comida, ou há outras espécies com esse hábito?

Leia minha resposta original no Quora.

Na ilha japonesa de Koshima, existia uma tribo de macacos macaca. Era o começo dos anos 50, e um grupo de cientistas havia chegado à ilha para estudar essas curiosas criaturas.

Um dia, uma jovem macaca fêmea chamada Imo (a palavra japonesa para batata) decidiu começar a mergulhar suas batatas doces em um rio próximo antes de comê-las. Seu motivo era simples, e perfeitamente razoável: ela viu areia nas batatas e quis lavá-las. No entanto, nenhum dos macacos mais velhos e maduros haviam pensado em fazer isso antes – eles simplesmente empurravam a areia com as mãos.

Os irmãos e irmãs de Imo viram-na executando esse ritual nada familiar de limpeza. Sendo macacos, eles começaram a imitar sua ação, mergulhando suas próprias batatas no rio. Logo, sua mãe também seguiu a tendência. Evidentemente, essa família de macacos havia descoberto a maravilha de comer batatas limpas.

O que os cientistas observaram pelos próximos anos foi uma mudança dramática no comportamento de consumo de batatas por toda a ilha. A prática de lavar as batatas se espalhou rapidamente por toda a colônia de macacas, e em uma década, todo macaco com plenas faculdades mentais da ilha estava lavando batatas.

Mas não foi a técnica de lavar batatas que os macacos haviam aprendido. Em algum momento, durante aqueles anos de compartilhamento de conhecimento macaco-a-macaco, Imo descobriu um segundo truque para tornar seu consumo de batatas mais prazeroso – mergulhando suas batatas no oceano ao invés do rio, a água salgada temperava a batata e a deixava mais saborosa. Depois de cada mordida, ela mergulhava o pedaço exposto da batata no oceano novamente para melhorar o sabor. Esse hábito se espalhou tão rapidamente quanto o primeiro na comunidade de macacos.

Essas práticas de lavar batatas e mergulhar a comida foram propagadas por várias gerações. Até hoje, embora nenhum dos macacos originais esteja mais vivo, os macacos de Koshima podem degustar batatas limpas e com um sabor diferenciado.

Será que macacos também têm cultura?

Fonte (traduzida): Monkeys Washing Potatoes

De onde surgiu o clichê das pessoas que usam magia em filmes e histórias sangrarem pelo nariz?

Leia minha resposta original no Quora.

É amplamente documentado o sangramento do nariz quando o corpo humano está sob pressão física extrema, como ao levantar peso. Isso acontece graças ao aumento rápido da pressão sanguínea, que estoura alguns pequenos capilares.

(Assista a partir do 9:10)

Também não é incomum que esses atletas (pense em um peso de mais de 180 kg) percam o controle da bexiga ou do reto enquanto exercem o esforço.

Então, esse é um caso em que uma deixa visual simples de ser executada para o esforço intenso seja uma espécie de exagero da realidade que se aplica bem na ficção. Afinal, se supormos que os poderes psíquicos envolvem um imenso esforço mental, provavelmente precisariam de mais irrigação sanguínea e pressão no cérebro, o que acarretaria em um sangramento no nariz.

Por que alguns pais decidem pedir permissão para entrar no quarto de seus filhos?

Leia minha resposta original no Quora.

Porque o entendimento de privacidade é fundamental para a formação de um ser humano, e porque todos os seres humanos fazem algumas atividades que requerem privacidade e respeito a ela.

Obviamente, o primeiro motivo é a masturbação. Tanto mulheres quanto homens se masturbam, e agora que chegamos em um ponto mais sólido de igualdade entre os sexos, não se deve esperar mais a masturbação de um homem do que de uma mulher, então, a menos que os pais queiram passar por uma experiência bem desagradável de flagrarem a intimidade dos filhos em momento inoportuno, não deveriam simplesmente sair empurrando a porta.

Além disso, existem leituras, pinturas e concentrações que são quebradas por interrupções, e isso é irritante para qualquer pessoa. Está na lista de inúmeros itens que geram ressentimento. Ser incomodado enquanto se estuda é extremamente desagradável.

Pais que decidem controlar o acesso aos quartos dos filhos criam filhos neuróticos e inseguros, que nunca se sentem realmente sozinhos e criam uma vontade nada saudável de esconder suas intimidades. Isso se traduz pra vida, e de forma negativa.

Não acho que essa seja uma pergunta que exija muitos parágrafos, a privacidade mínima e básica é motivo o suficiente para você bater na porta. Por favor!

Por que eu não posso ir para Dubai e simplesmente pegar os carros abandonados de lá?

Leia minha resposta no Quora.

Porque as multas acumuladas devem ser pagas mesmo que você não seja o responsável por elas, ficam atreladas ao carro, e após pagar as multas você ainda teria que entrar em contato com o governo sobre uma transferência de titularidade para poder usar, caso contrário, sendo pego dirigindo-o, você seria preso e obrigado a pagar as multas.

Eu não sei dessa informação, mas acho improvável que o governo vá permitir que você transfira os documentos do carro para o seu nome. Mas como isso é um problema que tem ocorrido lá, acho que é o que deveriam fazer. Talvez facilitar essa transferência.

Acho que uma ótima solução para esses carros seriam leilões, como é feito em outros países, inclusive no Brasil.

Resposta resumida: você não pode pegar um carro abandonado em Dubai e sair dirigindo pelo mesmo motivo que você não pode fazer isso em nenhum lugar, há leis e titularidades para carros.

Quais são os lugares mais assustadores do Brasil?

Leia minha resposta original no Quora.

Em geral? As favelas. Na maior parte delas, a polícia não pode entrar em vários pontos, a milícia faz cobranças aos comércios e moradores em troca de segurança (que, na verdade, significa garantir que suas coisas não serão destruídas e que você não será ameaçado — muitas vezes pela própria polícia), e guerras entre traficantes e policiais muitas vezes acarretam em mortes de civis inocentes.

É comum as pessoas de classe média ou alta acharem que os bairros mais pobres serão mais perigosos e com maior frequência de assaltos, e muitas vezes isso acaba sendo verdade, mas em muitos outros casos os próprios bairros de classe média tornam-se mais perigosos por conta dos assaltantes preverem recompensas maiores em um ato criminoso bem sucedido. A solução para estes casos costuma ser o aumento do policiamento nessas regiões, mas muitas vezes isso não é possível, pois nossos policiais são poucos, recebem mal e têm um treinamento raso.

Para complementar o ponto de vista, e respondendo sua pergunta mais diretamente, este é o ranking de homicídios no Brasil:

(Formato: número de homicídios para cada 100.000 habitantes, em 2016)

1° Natal / 69,56
2° Fortaleza / 69,28
 Belém / 67,41
 Aracaju / 62,76
 Feira de Santana, BA / 60,23
 Vitória da Conquista, BA / 60,10
7° Campos dos Goytacazes, RJ / 56,45
8° Maceió / 51,78
9° Recife / 47,89
10° João Pessoa / 47,57
11° São Luís / 45,41
12° Teresina / 42,84
13° Cuiabá / 42,61
14° Goiânia / 39,48
15° Macapá / 38,45
16° Manaus / 38,25
17° Vitória / 37,54
18° Curitiba / 34,92

É muito importante deixar claro que estes números não significam que essas cidades sejam invisitáveis ou que todos os seus habitantes não vivam em segurança. Nós vivemos em um dos países mais desiguais do mundo, e isso essencialmente significa que nossas cidades também são desiguais em seus próprios limites.

Um exemplo que talvez te explique isso melhor, já que é bem diferente do brasileiro, é imaginarmos a cidade de Baltimore, nos EUA. Ela tem mais homicídios do que OITO cidades na lista de cidades brasileiras acima, mas é uma das cidades mais visitadas por estrangeiros e americanos, por conta de sua cultura.

Isso nos faz pensar: não é perigoso? É perigoso? Por que as pessoas se arriscam?

A questão é que Baltimore tem essa altíssima taxa de homicídios por conta dos guetos e das brigas entre gangues. Conflitos entre bairros negros, latinos e de outras etnias, além do tráfico de drogas, causam muitas mortes e a falta da ação da polícia, que muitas vezes não se atreve a entrar nessas áreas.

Em contraponto, os EUA têm preços muito baixos de objetos de consumo em relação aos salários, então ter coisas bacanas, como um celular de primeira linha ou um carro decente, não é exclusividade dos ricos ou da classe média alta. Quase todo mundo tem.

Baltimore, portanto, tem mais homicídios a cada 100.000 habitantes que Maceió, mas Maceió dá mais medo do que Baltimore, por conta dos assaltos. Assaltos a mão armada, assaltos a carros, assaltos na praia, furtos, sequestros-relâmpago. As taxas de homicídio, na verdade, não afetam todos os turistas ou moradores, e não dizem tudo sobre o perigo de uma cidade.

Por isso que é tão difícil eu te dizer quais as cidades mais perigosas do Brasil. A resposta que eu consideraria mais verdadeira é: todas, e nenhuma.

Para o traficante, o lugar mais perigoso é seu próprio bairro, quando a polícia fizer sua invasão, ou quando a gangue rival resolver tentar pegar o ponto.

Para o favelado, o lugar mais perigoso é a própria casa, quando uma guerra começar e ele precisar comprar pão.

Para o classe média, pode ser a própria porta, se o policiamento estiver faltando e a economia estiver indo mal.

Para o rico, talvez o mais perigoso seja tentar arrumar um cargo de político que rivalize um colega de ofício ligado às milícias.

Para o índio, o lugar mais perigoso é a reserva dele, se existirem madeireiros ilegais à espreita.

O lugar mais perigoso do Brasil vai depender de quem você é na fila do pão e de onde você está enquanto isso.